Efeito de antisséptico contendo óleo essencial de alecrim pimenta (lippia origanoides cham.) Nos tetos de vacas leiteiras e qualidade do leite

Rodrigo Pereira Morão, Anna Christina de Almeida, Mário Henrique França Mourthé, Natalia Arantes Marcelo, Paulo Henrique Batista Bicalho Maia, Lucas Vieira Gomes, Flávio Emanuel Gomes Silva, Alessandro Soares Fonseca de Matos

Resumo

Resumo: Objetivo: objetivou-se avaliar o efeito de antisséptico elaborado com óleo essencial de alecrim pimenta na higienização e integridade de tetos de vacas leiteiras e na qualidade do leite destas vacas. Metodologia: foram utilizadas vacas mestiças Holandês, multíparas com média de 150 ± 25 dias de lactação e livres de mastite clínica. Comparou-se o efeito antisséptico dos protocolos convencionais com produtos contendo clorexidine (pré-dipping) e iodo (pós-dipping) com o produto experimental (pré e pós-dipping). Realizaram-se avaliações clínicas diárias da glândula mamária e avaliações semanais quanto a qualidade sanitária, composição nutricional e produção de leite em um período de seis semanas. Resultados: os animais não apresentaram mastite clínica e observou-se semelhança nos escores de integridade da pele dos tetos entre os grupos tratados, durante o período experimental. A mastite subclínica apresentou grau leve, semelhante aos achados da contagem de células somáticas (CCS), atribuída às condições fisiológicas e morfológicas dos animais. Não houve alteração na CCS e na composição do leite dos animais, durante o período de estudo. A contagem bacteriana total apresentou um aumento pontual na segunda semana de estudo. Foi observada correlação positiva e significativa entre a CCS e proteína, e, negativa e significativa para lactose. Conclusão: o antisséptico, contendo óleo essencial de alecrim pimenta, apresentou-se como uma possível alternativa para desinfecção dos tetos, não lesando a pele e sem interferência na qualidade do leite.

Texto completo:

PDF Visualizar PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.