Perfil de saúde de professoras da educação básica de escolas públicas de montes claros- mg

Vívian Cristina Silva Santos, Brenda Barbosa Gonçalves, Camila Santos Pereira, Alice Duarte Santos Veloso, Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins, Desirée Sant’ Ana Haikal

Resumo

Resumo: Objetivo: caracterizar as professoras da educação básica de escolas públicas de Montes Claros- MG quanto as suas condições sóciodemográficas, a saúde da mulher, as suas condições normativas e subjetivas de saúde e a alfabetização em saúde. Metodologia: estudo de prevalência descritivo conduzido em uma amostra probabilística por conglomerados (n=35 escolas) de professoras da educação básica de escolas públicas de Montes Claros-MG. Na coleta de dados foram utilizados questionários auto aplicados durante reuniões pedagógicas realizadas nas escolas incluídas. Foi conduzida análise descritiva utilizando o programa SPSS®, versão 18.0. Resultados: das 633 participantes, 51,8% possuíam 40 anos ou mais, 52,6% docentes realizaram o exame Papanicolau há menos de um ano e 32% realizaram mamografia em menos de um ano. Relataram hipercolesterolemia, diagnóstico de diabetes e hipertensão arterial, 24,0%, 2,5% e 17,3%, respectivamente.  Cerca de 46,7% se consideraram esclarecidas, mas não o suficiente, sobre como cuidar da sua própria saúde e 38,1% apontaram a falta de tempo como fator que impede melhor cuidado com a saúde. Conclusão: houve predomínio das professoras que apresentaram autopercepção e comportamentos positivos em relação a sua condição de saúde. A falta de tempo foi apontada como principal fator problemático para adoção de estilo de vida mais saudável.

Palavras-chave

Docentes; Ensino Fundamental; Saúde; Epidemiologia; Prevalência; Saúde da Mulher;

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

PROBST, Elisiana Renata; RAMOS, Paulo. A evolução da mulher no mercado de trabalho. Santa Catarina: Instituto Catarinense de Pós-Graduação, p. 1-8, 2003.

ARAÚJO, Tânia Maria de et al. Diferenciais de gênero no trabalho docente e repercussões sobre a saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 11, p. 1117-1129, 2006.

ALVES, Roberta; VERÍSSIMO, Maria De La. Os educadores de creche e o conflito entre cuidar e educar. Journal of Human Growth and Development, v. 17, n. 1, p. 13-25, 2007.

BRUSCHINI, Maria Cristina A. Trabalho e gênero no Brasil nos últimos dez anos. Cadernos de pesquisa, v. 37, n. 132, p. 537-572, 2007.

DELCOR, Núria Serre et al. Condições de trabalho e saúde dos professores da rede particular de ensino de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, p. 187-196, 2004.

MONTALI, Lilia et al. Provedoras e co-provedoras: mulheres-cônjuge e mulheres-chefe de família sob a precarização do trabalho e o desemprego. Revista Brasileira de Estudos de População, 2006.

KÜCHEMANN, Berlindes Astrid. Envelhecimento populacional, cuidado e cidadania: velhos dilemas e novos desafios. Sociedade e Estado, v. 27, n. 1, p. 165-180, 2012.

TSCHIEDEL, Rubia Minuzzi; TRAESEL, Elisete Soares. Mulher e dor: um estudo na perspectiva da Psicodinâmica do Trabalho. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 13, n. 2, p. 611-624, 2013.

ASSUNÇÃO, Ada Ávila; OLIVEIRA, Dalila Andrade. Intensificação do trabalho e saúde dos professores. Educação & Sociedade, v. 30, n. 107, 2009.

GASPARINI, Sandra Maria; BARRETO, Sandhi Maria; ASSUNÇÃO, Ada Ávila. O professor, as condições de trabalho e os efeitos sobre sua saúde. Educação e pesquisa, v. 31, n. 2, 2005.

SIQUEIRA, Maria Juracy Toneli; FERREIRA, Edirê S. Saúde das professoras das séries iniciais: o que o gênero tem a ver com isso?. Psicologia: ciência e profissão, v. 23, n. 3, p. 76-83, 2003.

DO VALE, Paula Cristina Santos; AGUILLERA, Fernanda. Estresse dos professores de ensino fundamental em escolas públicas: Uma revisão de literatura. Revista Psicologia, Diversidade e Saúde, v. 5, n. 1, 2016.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico, 2010. acesso em 25/05/18.

ABEP - Critério Padrão de Classificação Econômica Brasil / 2015 acesso em 24/05/18.

MALTA, Deborah Carvalho et al. Fatores de risco e proteção para doenças crônicas: vigilância por meio de inquérito telefônico, VIGITEL, Brasil, 2011. Cadernos de Saúde Pública, 2011.

BRASIL, Ministério da saúde. Vigitel Brasil 2013: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde – Brasília: Ministério da Saúde. 2014:120.

SØRENSEN Kristine et al. Health literacy and public health: a systematic review and integration of definitions and models. BMC Public Health, 2012.

MARTINS, Andréa Maria Eleutério de Barros et al. Alfabetização em saúde bucal: uma revisão da literatura. Revista da Associacao Paulista de Cirurgioes Dentistas, 2015.

VEDOVATO, Tatiana Giovanelli; MONTEIRO, Maria Inês. Perfil sociodemográfico e condições de saúde e trabalho dos professores de nove escolas estaduais paulistas. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 42, n. 2, p. 291-297, 2008.

JARDIM, Renata; BARRETO, Sandhi Maria; ASSUNÇÃO, Ada Ávila. Condições de trabalho, qualidade de vida e disfonia entre docentes. Cadernos de Saúde Pública, v. 23, p. 2439-2461, 2007.

SIND-UTE/MG. Tabelas de vencimento das carreiras do grupo de atividades de educação básica do poder executivo, 2017. Disponível em: . Acesso em: 26 mai. 2018.

FERNANDES, Marcos Henrique et al. Estilo de vida de professores universitários: uma estratégia para a promoção da saúde do trabalhador. Revista Brasileira em Promoção da saúde, v. 22, n. 2, 2009.

DUAVY, Lucélia Maria et al. A percepção da mulher sobre o exame preventivo do câncer cérvico-uterino: estudo de caso. Ciência & Saúde Coletiva, v. 12, p. 733-742, 2007.

DO INCA, NORMAS E. RECOMENDAÇÕES. Periodicidade de realização do exame preventivo do câncer do colo do útero. Revista Brasileira de Cancerologia, v. 48, n. 1, p. 13-15, 2002.

JARDIM, Paulo César et al. Hipertensão arterial e alguns fatores de risco em uma capital brasileira. Arq Bras Cardiol, v. 88, n. 4, p. 452-7, 2007.

BARBOSA, José Bonifácio et al. Prevalência da hipertensão arterial em adultos e fatores associados em São Luís–MA. Arq Bras Cardiol, v. 91, n. 4, p. 260-6, 2008.

SANTOS, Patrícia Aleixo dos; RODRIGUES, Jonas de Almeida; GARCIA, Patrícia Petromilli Nordi Sasso. Avaliação do conhecimento e comportamento de saúde bucal de professores de ensino fundamental da cidade de Araraquara. Revista Íbero-americana de Odontopediatria & Odontologia de Bebê, 2010.

MARIANO, Maria do Socorro Sales; MUNIZ, Hélder Pordeus. Trabalho docente e saúde: o caso dos professores da segunda fase do ensino fundamental. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 6, n. 1, p. 76-88, 2006.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.