Identidade étnica: percepção de adolescentes quilombolas

Thais de Andrade Alves, Elane Nayara Batista dos Santos, Ivana Mota dos Santos, Renata Lopes de Oliveira, Maria Carolina Ortiz Whitaker, Cristina Andrade Sampaio, Climene Laura de Camargo

Resumo

A identidade de um indivíduo começa a ser construída na adolescência, caracterizando-se como um processo contínuo e influenciado por fatores externos. Quando é afirmada a partir da existência e diferença entre grupos, podemos defini-la como identidade étnica. Comunidades marcadas pelas tradições culturais, desenvolvem um comportamento tipicamente étnico, como pode ser percebido em comunidades remanescentes quilombolas. A valorização da identidade étnica, por adolescentes, pode ser um fator positivo para a preservação de suas tradições e costumes. Objetivo: Apreender a percepção de adolescentes de uma comunidade quilombola sobre sua identidade étnica. Método: Trata- se de um estudo qualitativo, descritivo realizado na comunidade quilombola de Vila Monte Alegre, tendo como sujeitos seis adolescentes. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista semiestruturada e os dados foram analisados por meio do método de análise de conteúdo, respeitando os preceitos éticos da resolução 466/2012. Resultados e discussão: A análise das entrevistas possibilitou a identificação de duas categorias: Percepções sobre identidade étnica e Influências no reconhecimento da identidade étnica. Considerações finais: Os adolescentes deste estudo se reconhecem como quilombolas e possuem consciência crítica e política a respeito da comunidade em que vivem, sendo este fato de extrema importância para a proposição de ações de enfrentamento dos problemas locais e estratégias de superação da exclusão histórica que vivenciam. 

Palavras-chave

Saúde; Adolescentes; População Negra; Empoderamento; Identidade Étnica.

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

SCHOEN-FERREIRA, T. H.; AZNAR-FARIAS, M.; SILVARES, E. F. de M. Desenvolvimento da Identidade em Adolescentes Estudantes do Ensino Médio. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 22, n. 3, p. 326-333, 2009.

CASTELLS, M. O poder da identidade. São Paulo: Paz e terra, 2010.

OLIVEIRA, R. C. Identidade Étnica, Identificação e Manipulação. Sociedade e cultura, v. 6, n. 2, p. 117-131, 2003.

LEITE, I. B. O projeto político quilombola: desafios, conquistas e impasses atuais. Rev. Estudos Feministas, v. 16, n. 3, p. 965-977, 2008.

CALHEIROS, F. P.; STADTLER, H. H. C. Identidade étnica e poder: os quilombos nas políticas públicas brasileiras. Rev. katálysis, v. 13, n. 1, p. 133-139, 2010.

DOMINGUES, P. Movimento negro brasileiro: alguns apontamentos históricos. Tempo, v.12, n.23, 2007, p.100-122. Disponível em: Acesso em: 18 jul. 2014

MARTINS, L. A. Cuidado ao recém-nascido em comunidade quilombola e a influência intergeracional. Dissertação (Mestrado em Enfermagem), Escola de Enfermagem, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

OLIVEIRA, E. F.; JESUS, V. S.; SIQUEIRA, S. M. C.; ALVES, T. de A.; SANTOS, I. M.; CAMARGO, C. L. Promovendo saúde em comunidades vulneráveis: tecnologias sociais na redução da pobreza e desenvolvimento sustentável. Rev Gaúcha Enferm, v. 36, p. 200-206, 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

VERAS, M. F. P.; DE BRITO, V. G. Identidade Étnica: A dimensão política de um processo de reconhecimento. Revista de Antropologia, v.5, n. 4, p. 106-125, 2012.

BRASIL. Decreto Nº 4.887, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2003. Regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos de que trata o art. 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. DECRETO DO EXECUTIVO, Brasília, DF, 20 nov. 2003. 182o da Independência e 115o da República. Disponível em: Acesso em: 16 nov. 2014

BRASIL. LEI Nº 10.639, DE 9 DE JANEIRO DE 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 9 jan. 2003. 182o da Independência e 115o da República. Disponível em: Acesso em: 04 mai. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. RESOLUÇÃO Nº 8, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica. Resolução CNE/CEB 8/2012. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1, p. 26, 21 nov. 2012. Disponível em: Acesso em: 04 mai. 2016.

LOPES, F. Experiências desiguais ao nascer, viver, adoecer e morrer: tópicos em saúde da população negra no Brasil. In: BATISTA, L. E.; KALCKMANN, S. Seminário Saúde da População Negra do Estado de São Paulo 2004. São Paulo: Instituto de Saúde; 2005. Disponível em:< http://www.saude.sp.gov.br/resources/instituto-de-saude/homepage/temas-saude-coletiva/pdfs/temas_sc3.pdf > Acesso em: 18 jul. 2014

FERREIRA, R. F. Afrodescendente: identidade em construção. São Paulo: EDUC; Rio de Janeiro: Pallas, 2004.

JODELET, D. A alteridade como processo e produto psicossocial. In: ARRUDA, A. (Org.). Representando a alteridade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

HALBAWACHS, M. Memória coletiva e memória histórica. In: ________ .A memória coletiva. 2. ed. São Paulo: Editora revista dos tribunais LTDA. 1990. cap. 2, p.53-89. Disponível em: < http://docslide.com.br/documents/maurice-halbwachs-a-memoria-coletivapdf.html > Acesso em: 19 mai. 2016.

SANTOS, G. L.; CHAVES, A. M. Ser quilombola: Representações sociais de habitantes de uma comunidade negra. Estudos de Psicologia I, v. 24, n. 3, 2007, p. 353-361.

CAPINAN, U.; CARDEL, L. O quilombo que remanesce: impactos da política pública de certificação e de titulação do território em Rio de Contas, BA. Aval, ano 4, v.2, n.8, p. 27-40, jul-dez, 2011. Disponível em: Acesso em: 04 mai. 2016.

CARMO, C. M.; MAGALHAES, C. M. Sincretismo e questão racial: relações lexicais e representações conflitantes em dois jornais e duas revistas impressas brasileiras. Delta, v. 26, n. 1, p. 25-57, 2010.

SILVA, J. A. N. Condições Sanitárias e de Saúde em Caiana dos Crioulos, uma Comunidade Quilombola do Estado da Paraíba. Saúde Soc, v.16, n.2, p.111-124, 2007.

BRASIL. LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. Dispõe sobre o estatuto da criança e do adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 13 jul.1990. 169º da Independência e 102º da República. Disponível em: Acesso em: 22 nov. 2014.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.