Cumprimento do calendário vacinal de crianças cadastradas na Estratégia de Saúde da Família: avaliação pelo cartão espelho

Cândida Maria Alves Soares, Nayara Ruas Cardoso, Sarah Caroline Oliveira de Souza, Fabrícia Vieira de Matos, Patrícia Helena Costa Mendes, Daniella Reis Barbosa Martelli, Simone de Melo Costa

Resumo

Objetivo: Avaliar o cumprimento do calendário vacinal de crianças cadastradas em uma unidade  da Estratégia de Saúde da Família. Metodologia: Estudo de cunho transversal, quantitativo e descritivo, desenvolvido pela análise de 116 cartões espelho referentes ao calendário vacinal de crianças cadastradas em uma unidade de saúde no âmbito da Estratégia de Saúde da Família, de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Avaliaram-se os registros de vacinas nos cartões, tendo como parâmetro o protocolo vacinal instituído pelo Ministério da Saúde do Brasil, para crianças até os 15 meses de idade. O critério avaliado foi o cumprimento ou não do calendário vacinal na infância. Resultados: O cumprimento da vacina BCG foi constatado em 98,3% dos cartões, hepatite B em 27,2%, antipolio em 81,1%, Tetra/Penta em 78,3%, rotavírus em 1,0%, tríplice viral em 13,8% e febre amarela em 56,9%. Conclusão: O calendário vacinal na infância não foi cumprido integralmente conforme proposto pelo Ministério da Saúde.

Palavras-chave

Vacinas; Crianças; Saúde da Família

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

YOKOKURA, A.V.C.P.; SILVA, A.A.M.; BERNARDES, A.C.F.; LAMY, F.F.; ALVES, M.T.S.S.B.; CABRA, N.A.L.; ALVES, R.F.L.B. Cobertura vacinal e fatores associados ao esquema vacinal básico incompleto aos 12 meses de idade, São Luís, Maranhão, Brasil, 2006. Cad. Saúde Pública [página na Internet], v.29, n.3, p.522-534, 2013 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2013000300010&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2013000300010.

GUIMARÃES, T.M.R.; ALVES, J.G.B.; TAVARES, M.M.F. Impacto das ações de imunização pelo Programa Saúde da Família na mortalidade infantil por doenças evitáveis em Olinda, Pernambuco, Brasil. Cad Saúde Pública [página na Internet], v.25, n.4, p.868-876, 2009 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009000400018&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000400018.

PUGLIESI, M.V. ; TURA, L.F.R. ; ANDREAZZI, M.F.S. Mães e vacinação das crianças: estudo de representações sociais em serviço público de saúde. Rev. Brasil. Saúde Matern. Infant.[página na Internet], v.10, n.1, p.75-84, 2010 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292010000100008&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292010000100008.

COUTO, M.T.; BARBIERI, C.L.A. Cuidar e (não) vacinar no contexto de famílias de alta renda e escolaridade em São Paulo, SP, Brasil. Cienc. saúde coletiva [página na Internet], v.20, n.1, p.105-114, 2015 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000100105&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014201.21952013.

RAMOS, C.F.; PAIXÃO, J.G.M.; DONZA, F.C.S.; SILVA, A.M.P.; CAÇADOR, D.F.; DIAS, V.C.V. et al. Cumprimento do calendário de vacinação de crianças em uma unidade de saúde da família. Rev Pan-Amaz Saúde [página na internet], v.1,n.2, p.55-60, 2010 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-62232010000200006&lng=pt. http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232010000200006.

LINHARES, A.O.; GIGANTE, D.P.; BENDER, E.; CÉSAR, J.A. Avaliação dos registros e opinião das mães sobre a caderneta de saúde da criança em unidades básicas de saúde, Pelotas, RS. Revista da AMRIGS [página na Internet], v.56, n.3, p.245-250, 2012 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.amrigs.org.br/revista/56-03/avaliacao%20dos%20registros.pdf.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de normas e procedimentos para vacinação. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cidades. [página na internet] Rio de Janeiro: IBGE; 2015. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=314330

BRASIL. Ministério da Saúde. Caderneta de saúde da criança. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica. Brasília: MS; 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de normas de vacinação. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.

RAMOS, C.F.; PAIXÃO, J.G.M.; DONZA, F.C.S.; SILVA, A.M.P.; CAÇADOR, D.F.; DIAS, V.D.V.; SODRÉ, E.F.L.M. Cumprimento do calendário de vacinação de crianças em uma unidade de saúde da família. Rev Pan-Amaz Saúde [página na Internet], v.1, n.2, p.55-60, 2010 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-62232010000200006&lng=pt. http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232010000200006

GUIMARÃES, T.M.R.; ALVES, J.G.B.; TAVARES, M.M.F. Impacto das ações de imunização pelo Programa Saúde da Família na mortalidade infantil por doenças evitáveis em Olinda, Pernambuco, Brasil. Cad. Saúde Pública [página na Internet], v.25, n.4, p.868-876, 2009 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009000400018&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000400018.

FERNANDES, A.C.N.; GOMES, K.R.O.; ARAÚJO, T.M.E.; MOREIRA-ARAÚJO, R.S.R. Análise da situação vacinal de crianças pré-escolares em Teresina (PI) Rev Bras Epidemiol.[página na Internet], v.18, n.4, p.870-882, 2015 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2015000600870&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201500040015.

TERTULIANO, G.C.; STEIN, A.T. Atraso vacinal e seus determinantes: um estudo em localidade atendida pela Estratégia Saúde da Família. Ciênc. saúde coletiva [página na Internet], v.16, n.2, p. 523-530, 2011 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000200015&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000200015.

JOYCE, C. Steps to success: getting children vaccinated on time. Pediatr Nurs. v.33, n.6, p.491-496, 2007.

SANTOS, P.C.F.; BOHLAND, A.K.; PAIXÃO, A.C. Oportunidade perdidas de vacinação em hospital de referência pediátrica em Aracajú (SE), Brasil. Revista de Atenção Primária à Saúde. v.12, n.1, p.29-38, 2009.

BARROS, M.G.M.; SANTOS, M.C.S.; BERTOLINI, R.P.T.; PONTES NETO, V.B.; ANDRADE, M.S. Perda de oportunidade de vacinação: aspectos relacionados à atuação da atenção primária em Recife, Pernambuco, 2012. Epidemiol. Serv. Saúde [página na Internet],v.24, n.4, p.701-710, 2015. [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielosp.org/article_plus.php?pid=S2237-96222015000400701&tlng=en&lng=en.

SMITH, P.J.; HUMISTON, S.G.; PARNELL, T.; VANNICE, K.S.; SALMON, D.A. The association between intentional delay of vaccine administration and timely childhood vaccination coverage. Public Health Rep. v.125, n.4, p. 534-541, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de vigilância epidemiológica de eventos adversos pós-vacinação/ Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

BITTENCOURT, F.S.; PEREIRA, P.L.; GONZAGA, S.M.; BOERHS, A.E.; HEIDMANN, I.S.B.; BÁFICA, A.C.M.F. Agentes Comunitários de Saúde: Atribuições na saúde da criança. Revista de Enfermagem. UFSM [página na Internet], v.1, n.3, p.318-325, 2011 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: .

AMBROSINI, V.A.; CARRARO, E. Impacto da vacinação contra rotavírus no Brasil. Medicina, Ribeirão Preto. v.45, n.4, p.411-418, 2012.

MASUKAWA, M.L.T.; MORIWAKI, A.M.; SANTANA, R.G.; UCHIMURA, N.S.; UCHIMURA, T.T. Impacto da vacina oral de rotavírus Humano nas taxas de hospitalizações em crianças. Acta paul. enferm.[página na Internet], v.28, n.3, p.243-249, 2015 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002015000300243&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201500041.

SANTOS, D.M.; DUBEUX, L.S.; FRIAS, P.G.; VANDERLEI, L.C.M.; VIDAL, A.S. Avaliação normativa da ação programática imunização nas equipes de saúde da família do Município de Olinda, Estado de Pernambuco, Brasil, em 2003. Epidemiol. Serv. Saúde [página na Internet], v.15, n.3, p.29-35, 2006 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742006000300004&lng=pt. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742006000300004.

MATSUDA, L.M.; CARVALHO, A.R.S.; ÉVORA, Y.D.M. Anotações/registros de enfermagem em um hospital-escola. Cienc Cuid Saude. v.6, n.2, p.337-346, 2007.

ABUD, S.M.; GAÍVA, M.A.M. Análise do preenchimento dos dados de imunização da caderneta de saúde da criança. Rev. Eletr. Enf.[página na Internet], v.16, n.1, p.61-67, 2014 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v16/n1/pdf/v16n1a07.pdf.

GAÍVA, M.A.M.; SILVA, F.B. Caderneta de saúde da criança: revisão integrativa. Revista enfermagem UFPE [página na Internet], v.8, n.3, p.742-749, 2014 [acessado em 10 de junho de 2016]. Disponível em: www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/.../8721.

AYRES, J.R.C.M. Hermenêutica e humanização das práticas de saúde. Ciênc. saúde colet. v.10, n.3, p.549-560, 2005.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.