A percepção de médicos da estratégia saúde da família sobre as internações por condições sensíveis à atenção primária

Lílian Amaral Santos, Éder Samuel Bonfim Esteves Oliveira, Antônio Prates Caldeira, Ana Augusta Maciel de Souza

Resumo

Objetivo: Conhecer a percepção dos médicos que trabalham na Estratégia de Saúde da Família sobre a avaliação do próprio trabalho e sobre o indicador Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária. Método: Trata-se de pesquisa de campo, exploratória e qualitativa. A coleta de dados ocorreu no período de junho e julho de 2014, por meio de entrevista semiestruturada. Foi utilizado um roteiro de entrevista, que foi gravada e posteriormente transcrita, sendo realizada através da análise de conteúdo. Resultados: No processo de análise das entrevistas emergiram duas categorias: “Avaliando o trabalho do médico na Estratégia Saúde da Família” com as subcategorias: “Avaliação fundamentada na satisfação pessoal e do usuário” e “Avaliação fundamentada nos atributos da atenção primária”. e “A percepção fundamentada em dados quantitativos” com as subcategorias: “Divergências sobre a avaliação fundamentada em dados quantitativos” e “Internações Condições Sensíveis à Atenção Primária: o desconforto do desconhecer.” Conclusão: Verificou-se a falta de conhecimentos dos médicos sobre as Internações Condições Sensíveis à Atenção Primária, o desconforto desse desconhecimento e a necessidade de qualificação contínua para esses profissionais.

Palavras-chave

Atenção Primária à Saúde; Avaliação de desempenho profissional; Pesquisa qualitativa; Hospitalização.

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

-ROSA, W.A.G.; LABATE, R.C. Programa Saúde Da Família: A Construção De Um Novo Modelo De Assistência. Rev Latino-Am Enfermagem 2005; 13(6)452-467.

-RASELLA ,D.; AQUINO R.; BARRETO, M.L. Reducing childhood mortality from diarrhea and lower respiratory tract infections in Brazil. Pediatrics 2010; 126(3):534–540.

-VICTORA, C.G.; et al. Maternal and child health in Brazil: progress and challenges. Lancet 2011; 377(9779): 1863–1876.

-MARSIGLIA, R.M.G. Perfil dos Trabalhadores da Atenção Básica em Saúde no Município de São Paulo: região norte e central da cidade. Saúde Soc 2011; 20(4):900-911.

-TOMASI E.; et.al. Perfil sócio-demográfico e epidemiológico dos trabalhadores da atenção básica à saúde nas regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cad Saúde Pública 2008; 24(suppl.1):S193-201.

-AQUINO, R. DE OLIVEIRA, N.F.; BARRETO, M.L. Impact of the family health program on infant mortality in Brazilian municipalities. Am J Public Health 2009; 99(1): 87-93.

-MACIEL, A.G.; CALDEIRA, A.P.; DINIZ, F.J.L.S. Impacto da Estratégia Saúde da Família sobre o perfil de morbidade hospitalar em Minas Gerais. Saúde debate 2014; 38(n.esp):319-330.

-SEIDL, H.; VIEIRA, S.P.; FAUSTO, M.C.R.; LIMA, R.C.D.L.; GAGNO J. Gestão do trabalho na Atenção Básica em Saúde: uma análise a partir da perspectiva das equipes participantes do PMAQ-AB. Saúde Debate 2014; 38(n.esp):94-108.

-BILLINGS, J.; ANDERSON, G.M.; NEWMAN; L.S. Recent findings on preventable hospitalizations. Health Affairs (Millwood) 1996;15(3):239-349.

-Caminal J, Sánchez E, Morales M, Peiró R, Márquez S. Avances en España en la investigación con el indicador "hospitalización por enfermedades sensibles a cuidados de atención primaria". Rev Esp Salud Pública 2002; 76(3):189-196.

-ALFRADIQUE M.E.; et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP - Brasil). Cad Saúde Pública 2009; 25(6):1337-1349.

-MACINKO J.; et al. The influence of primary care and hospital supply on ambulatory care-sensitive hospitalizations among adults in Brazil, 1999-2007. Am J Public Health 2011;101(10):1963-1970.

-MINAYO, M.C.S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11. ed. São Paulo: HUCITEC; ABRASCO; 2008.

-BARDIN, L. Analise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 1979.

-DONABEDIAN, A. The quality of medical care. Science 1978; 200(4344):856-864.

-DONABEDIAN, A. The seven pillars of quality. Arch Pathol Lab Med 1990; 114(11):1115-1118.

-COTTA, R.M.M. A satisfação dos usuários do Programa de Saúde da Família: avaliando o cuidado em saúde. Sci med 2005; 15(4):227-234.

-UCHOA AC; et al. Avaliação da satisfação do usuário do Programa de Saúde da Família na zona rural de dois pequenos municípios do Rio Grande do Norte. Physis 2011;21(3):1061-1076.

-ESPERIDIÃO, M.; TRAD, L.A.B. Avaliação de satisfação de usuários. Ciênc Saúde Coletiva 2005; 10(suppl):303-312.

-STARFIELD, B. Atenção Primária: equilíbrio entre necessidade de saúde, serviços e tecnologia. Brasília. Unesco/Ministério da Saúde, 2002.

-CARRENO, I.; et al.. Análise da utilização das informações do Sistema de Informação de Atenção Básica (SIAB): uma revisão integrativa. Cien Saude Colet 2015; 20(3):947-956.

-FIGUEIREDO LA.; et al. Análise da utilização do SIAB por quatro equipes da estratégia saúde da família do município de Ribeirão Preto, SP. Cad Saude Coletiva 2010; 18(3):418- 423.

- BARBOSA, D.C.M.; FORSTER, A.C. Sistemas de Informação em Saúde: a perspectiva e a avaliação dos profissionais en¬volvidos na Atenção Primária à Saúde de Ribeirão Pre¬to/SP. Cad Saúde Coletiva 2010; 18(3):424-433.

-GIROTTO, E.; DE ANDRADE, S.M.; CABRERA, M.A.; MATSUO, T. Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico e fatores associados na atenção primária da hipertensão arterial. Cien Saude Colet 2013; 18(6):1763-1772.

-MACINKO, J.; GUANAIS, F.C.; SOUZA, M.F.M. “Evaluation of the Impact of the Family Health Program on Infant Mortality in Brazil, 1990-2002”, J Epidemiol Community Health 2006; 60(1):13-19.

-SOUZA, M.K.B.; TEIXEIRA, C.F. Implementação do pacto de gestão do sus: o caso de um município baiano, 2007-2010. Rev Baiana Saúde Pública 2012; 36(4):951-968.

-VASCONCELOS, F.G.A.; ZANIBONI, M.R.G. Dificuldades do trabalho médico no PSF. Ciênc saúde coletiva 2011; 16(suppl.1):1497-1504.

-CARNEIRO, J.A.; CALDEIRA, A.P.; SANTANA, K.R.; FERNANDES, V.B.L. Percepção de médicos sobre a Lista Nacional de Condições Sensíveis a Atenção Primária. Rev APS 2012; 14(3):296-302.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.