Repercussões da mastectomia na vida sexual e afetiva das mulheres assistidas por um serviço de saúde do norte de Minas

Larissa Martins Silva, Mariley Simões de Souza, Carolina dos Reis Alves

Resumo

Resumo: O câncer de mama acarreta muitas transformações na vida da mulher e dos que com ela convivem. Haja vista tal pressuposto, este artigo tem por objetivo compreender as mudanças na vida sexual e afetiva, após a mastectomia radical em pacientes acometidas pela neoplasia mamária. Trata-se de uma pesquisa qualitativa descritiva, realizada na radioterapia da Santa Casa de Montes Claros. A amostra foi constituída por doze mulheres que responderam entrevista semiestruturada. A análise dos dados foi à luz da análise de discurso em que emergiram tais categorias: sentimentos após a mastectomia, percepção do corpo, mudança na vida afetiva e sexual, mudanças trabalhistas, representação da família, quimioterapia e conforto espiritual. Os resultados evidenciaram que, após a mastectomia radical, a vida sexual e afetiva das mulheres é comprometida, tanto pelos efeitos físicos dos tratamentos como pelas consequências psicossociais, a exemplo da construção da identidade feminina, da autoimagem e de como entendem que os outros as enxergam. Conclui-se que ocorrem mudanças significativas na vida dessas mulheres, porém a retirada da mama significa a retirada de um problema e a vontade de estar curada é maior do que se perder uma mama.

Palavras-chave

Câncer de Mama; Mastectomia Radical; Vida Afetiva e Sexual; Sexualidade.

Texto completo:

Texto completo

Referências

FERLAY, Jacques et al. Estimates of worldwide burden of cancer in 2008: GLOBOCAN 2008.

JEMAL, Ahmedin et al. Cancer statistics, 2010.CA: a cancer journal for clinicians, v. 60, n.5, p. 277-300, 2010.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (Brasil). Estimativa 2012. Incidência do Câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Estimativa 2010: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, p.98, 2009.

ADACHI, Keiichiro et al. Psychosocial factors affecting the therapeutic decision-making and postoperative mood states in Japanese breast cancer patients who underwent various types of surgery: body image and sexuality. Japane s e journal of clinical oncology, v. 37, n. 6, p. 412-418, 2007.

SEBASTIÁN, Julia et al. Imagen corporal y autoestima en mujeres con cáncer de mama participantes e nun programa de intervención psicosocial. Clínica y salud, v. 18, n. 2, p. 137-161, 2007.

FILGUEIRAS, Maria Stella; LISBOA, Aline Vilhena; GOMES, Flávia Depaiva. Avaliação psicossomática no câncer de mama: proposta de articulação entre os níveis individual e familiar. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 24, n. 4, p. 551-69, 2007.

CANTINELLI, Fábio Scaramboni. A oncopsiquiatria no câncer de mama – considerações a respeito de questões do feminino. Instruções para os autores 114, v. 45, p. 124, 1996.

DUARTE, Tânia Pires; ANDRADE, A. N. Enfrentando a mastectomia: análise dos relatos de mulheres mastectomizadas sobre questões ligadas à sexualidade. Estudos de Psicologia, v. 8, n. 1, p. 155-163, 2003.

BLANCO SÁNCHEZ, Rafaela. Imagen corporal femenina y sexualidad en mujeres con cáncer de mama. Index de Enfermería, v. 19, n. 1, p. 24-28, 2010.

SANTOS, Vera Lúcia Conceição de Gouveia; SAWAIA, Bader Burihan. The pouch mediating the relation between" being an ostomized person" and" being professional": analysis of a pedagogic strategy. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 8, n. 3, p. 40-50, 2000.

MOREIRA, Helena; SILVA, Sónia; CANAVARRO, Maria Cristina. The role of appearance investment in the adjustment of women with breast cancer. Psycho‐Oncology, v. 19, n. 9, p. 959-966, 2010.

SABISTON, Catherine et al. Invariance test of the Multidimensional Body Self-Relations Questionnaire: do women with breast cancer interpret this measure differently? Quality of Life Research, v. 19, n. 8, p. 1171-1180, 2010.

MCGAUGHEY, Amy. Body image after bilateral prophylactic mastectomy: an integrative literature review. Journal of midwifery & women's health, v. 51, n. 6, p. e45-e49, 2006.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1994.

MYNAYO, MCS. Ciência, técnica e arte: desafio da pesquisa social. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

JESUS, Leila Luíza Conceição de; LOPES, Regina Lúcia Mendonça. Considerando o câncer de mama e a quimioterapia na vida da mulher; Considering breast cancer and chemotherapy in women'slife. Rev. Enferm. UERJ, v. 11, n. 2, p. 208-211, 2003.

BARBOSA, Régia Christina Moura; XIMENES, Lorena Barbosa; PINHEIRO, Ana Karina Bezerra. Mulher mastectomizada: desempenho de papéis e redes sociais de apoio; Mastectomizedwoman: performance of roles and social nets ofaid. Acta paul. enferm, v. 17, n. 1, p. 18-24, 2004.

MACÊDO AMÂNCIO, Virgínia; SANTANA E SANTANA COSTA, Naíza. Mulher mastectomizada e sua imagem corporal. Revista Baiana de Enfermagem, v. 21, n. 1, 2010.

DE OLIVEIRA, Mariza Silva; FERNANDES, Ana Fátima Carvalho; GALVÃO, Marli Teresinha Gimeniz. Mulheres vivenciando o adoecer em face do câncer cérvico-uterino. Acta Paulista de Enfermagem, v. 18, n. 2, p. 150-155, 2005.

RZEZNIK, Cristiane; DALL’AGNOL, Clarice Maria. (Re) descobrindo a vida apesar do câncer. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 21, p. 84, 2008.

FERREIRA, Dayane de Barros; FARAGO, Priscila Moreira; REIS, Paula Elaine Diniz dos; FUNGHETTO, Silvana Schwerzet al. Nossa vida após o câncer de mama: percepções e repercussões sob o olhar do casal. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v.64, n.3, p.536-544, Maio-Junho, 2011.

BERVIAN, Patrícia Isabel & GIRARDON-PERLINI, Nara Marilene Oliveira. (2006). A família (com)vivendo com a mulher/mãe após a mastectomia. Revista Brasileira de Cancerologia. 52 (2), 121-128.

FERREIRA, Maria de Lourdes da Silva et al. Representação do corpo na relação consigo mesma após mastectomia. Revista Latino-Americana de Enfermagem, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 299-304, 2003.

PRADO, Josiane Aparecida Ferrari de Almeida. Supervivência: novos sentidos na vida após a mastectomia. Tese de Doutorado. Florianópolis: Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

CESNIK, Vanessa Monteiro; SANTOS, Manoel Antônio dos. Mastectomia e Sexualidade: uma revisão integrativa. Revista Psicologia: Reflexão e Crítica, São Paulo, n. 25, n.2, p.339-349, Janeiro-Abril, 2012.

PANOBIANCO, Marislei Sanches; MAMEDE, Marli Villela. Complicações e intercorrências associadas ao edema de braço nos três primeiros meses pós mastectomia. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.10(4):544-51, 2002.

ALMEIDA, Raquel Ayres de. Impacto da mastectomia na vida da mulher. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, v. 9, n. 2, p. 99-113, 2006.

CAMARGO, Teresa Caldas; DE OLIVEIRA SOUZA, Ivis Emília. Acompanhando mulheres que enfrentam a quimioterapia para o câncer de mama. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 6, n. 2, p. 261-272, 2002.

CAVALCANTI, Ana Carla Dantas; COELHO, Maria José. A linguagem como ferramenta do cuidado do enfermeiro em cirurgia cardíaca. Esc Anna Nery RevEnferm, v. 11, n. 2, p. 220-26, 2007.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.