Medição da área foliar do pequizeiro utilizando a soma da nervura principal dos folíolos

Paulo Sérgio Nascimento Lopes, Maria Olívia Mercadante, Gisele Lopes Oliveira, Eduardo Gusmãor

Resumo

A determinação da área foliar por um método não destrutivo torna-se de grande importância quando se pretende realizar uma análise quantitativa do crescimento das plantas, fotossíntese e transpiração. O presente trabalho teve como objetivo determinar a área foliar (AF) do pequizeiro (Caryocar brasiliense Camb.) utilizando-se a soma dos comprimentos das nervuras principais dos folíolos ou o comprimento da nervura principal do folíolo central. As folhas foram coletadas em plantas nativas do cerrado. Retirou-se as folhas de uma mesma altura na planta, nos quatro pontos cardeais, sendo duas para cada ponto, totalizando oitenta folhas. Após a coleta das folhas foi realizada a soma das nervuras principais dos três folíolos, e nas mesmas folhas foi determinada a área foliar, utilizando-se um medidor de área foliar (Delta T Devices LTD). A partir dos resultados obtiveram-se os coeficientes e as equações de regressão entre a área foliar real e a soma da nervura principal dos folíolos (S) e entre a área foliar real e o comprimento da nervura principal do folíolo central (C). Para o primeiro caso, o coeficiente de correlação foi de 0,95, sendo o modelo quadrático (AF = 1,218 - 0,012S + 0,0208S2) o que mais se ajustou, com um coeficiente de determinação de 0,91. No segundo caso, o coeficiente de correlação foi de 0,91, sendo o modelo linear (AF = 3,5166C – 19,085) o que mais se ajustou, com um coeficiente de determinação de 0,81. Com base nos resultados, conclui-se que a área foliar pode ser determinada com maior precisão, utilizando-se a soma dos comprimentos das nervuras principais dos três folíolos, com a equação quadrática.

Palavras-chave

Caryocar brasiliense; Cerrado; Area foliar

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.