Da antiguidade aos tempos modernos: algumas balizas sobre a retórica

Arlete Ribeiro Nepomuceno, Sarah Caroline Dias Leão, Edilene Ferreira dos Santos

Resumo

Este artigo, recorte do projeto de pesquisa Uma análise retórica de anúncios publicitários
veiculados em revistas e panfletos, financiado pela Fapemig, edital PRP 5/2013 PROINIC, propõe-se a
evidenciar um panorama histórico dos estudos da retórica do seu surgimento à nova retórica. Para isso,
consideramos basilares as contribuições teóricas de Aristóteles (1998), Reboul (2000), Plantin (1996),
Plebe (1978), Carrilho (1990), Perelmann e Tyteca (2005), entre outros. Metodologicamente, valemonos
de uma análise qualitativa, com fundamentação científica, esboçando, com seus representantes mais
significativos, um trajeto histórico da retórica. Observamos que a retórica passou por muitos períodos,
sofrendo a interferência de uma diversidade de fatores, para, finalmente, após alguns movimentos cíclicos
de recuperação, num verdadeiro reflorescimento, chegar ao século XX revigorada. Concluímos que a
retórica, desde o seu limiar no Ocidente, com toda a complexidade que a envolve, já faz parte de um uso
bastante antigo na história da linguagem, constituindo atividade estruturante de todo e qualquer discurso, o
que traz a lume o poder persuasivo da argumentação.


Palavras-chave: Retórica. Argumentação. Linguagem.

Texto completo:

Texto completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.