Diversidade de formigas arborícolas em três estágios sucessionais de uma floresta estacional decidual no norte de Minas Gerais

Frederico de Siqueira Neves, Rodrigo Fagundes Braga, Bruno Gini Madeira

Resumo

Este trabalho teve como objetivo comparar a diversidade e composição de formigas arborícolas em diferentes estágios sucessionais de uma floresta estacional decidual no norte do Estado de Minas Gerais. O trabalho foi realizado no Parque Estadual Mata Seca, município de Manga. A amostragem das formigas foi realizada em três áreas de floresta: uma área com cinco anos de regeneração (inicial), uma área com cerca de 15 anos de regeneração (intermediária) e uma área de floresta primária (tardia). Através de uma análise de componentes principais (PCA), as parcelas do estágio inicial foram isoladas das demais áreas, intermediária e tardia, mostrando que existe uma mudança na composição de morfoespécies de formigas à medida que se avança no estágio sucessional. Não houve influência do estágio de sucessão na riqueza de formigas. Entretanto, foi verificada uma diferença significativa para a abundância de formigas entre os estágios sucessionais, sendo o estágio tardio o mais abundante. Provavelmente em função de maior disponibilidade de recursos encontrados no estágio tardio, as formigas podem manter nesses locais colônias com maior número de indivíduos.

Palavras-chave

Habitat; Floresta estacional decidual; Formigas; Disponibilidade de recursos; Sucessão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.