Morte do homem, morte do sujeito: Nietzsche e a crítica à metafísica da subjetividade em Descartes

Alex Fabiano Correia Jardim

Resumo

O trabalho tem como proposta mostrar o aparecimento de uma das críticas mais radi cais à metafísica na história do pensamento: a filosofia de Friedrich Nietzsche. Rompendo com a tradição do pensamento moderno iniciado em Descartes, Nietzsche tematiza a questão da genealogia do sujeito em contraposição à teoria do sujeito como substância pensante, introduzindo na história do pensamento a urgência de pensarmos o homem como multiplicidade de forças, desconsiderando os postulados de verdade que a metafísica cartesiana institui a respeito do homem-sujeito e problematizando a possibilidade de um novo “ethos”. A crítica à metafísica da subjetividade em Nietzsche significa a afirmação de uma vontade de potência, uma transvaloração de todos os valores como a condição para a criação de diferentes possibilidades de vida.

Palavras-chave

Metafísica; Subjetividade; Genealogia; Cogito; Sujeito; Modernidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.