Elaboração de padrões de referência das variáveis metabólicas em portadores de deficiência mental no DF

Jônatas de França Barros, Camila Rodrigues Henning

Resumo

O presente estudo teve como finalidade elaborar padrões de referência das variáveis metabólicas, VO2 e FC, em deficientes mentais. Essas variáveis auxiliarão o profissional da área de educação física a elaborar programas de treinamento, aulas esportivas ou recreativas, para que as mesmas melhorem e, conseqüentemente, haja maior qualidade e longevidade na vida dessas pessoas. Para que os dados fossem coletados, os indivíduos avaliados (n=33) foram submetidos a um teste de esforço, com cargas crescentes, em que o ergômetro era uma bicicleta ergométrica. Através do aparelho Teem-100, foram analisados de forma direta os gases expirados, ou seja, o volume de ar expirado, as frações expiradas de oxigênio e dióxido de carbono. Verificou-se que a média aritmética da capacidade cardiorrespiratória (VO2) obtida no sexo masculino, 20,60 ml(kg.min)-1, foi 58% menor do que a prevista, 48,60 ml(kg.min)-1. Em relação ao sexo feminino, pouco diferiu já que a média do VO2 obtido foi de 15,99 (kg.min)-1 e do VO2 previsto era 39,23 (kg.min)-1, uma diferença discrepante de 59,24%. Realmente, foi detectado que os deficientes mentais possuem déficit das variáveis metabólicas pesquisadas se comparados com indivíduos normais, merecendo especial ênfase nos programas de atividade física.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.