O corpo em pedaços: análise do discurso sobre mulher nos outdoors de Maringá

Patrícia Lessa dos Santos

Resumo

Se as mulheres sempre foram tomadas como objeto de desejo masculino, com a publicidade tornam-se também objeto de consumo. Seu corpo, ou partes dele, vendem qualquer produto. A coisificação das mulheres é a ferida exposta do patriarcado, da polaridade e da hierarquia sexual e, portanto, da submissão feminina. Perguntamos: a publicidade é herdeira de uma determinada construção da imagem da mulher disseminada pela ciência moderna? Não podemos pensar a história como uma infinita continuidade: da religião para a ciência, da ciência para a mídia, no entanto ambas, enquanto construções sociais, evocam uma certa imagem de mulher, unitária, naturalizada, oposta ao masculino. Para empreendermos esta análise, buscamos dialogar com as teorias feministas, destacamos: Haraway, Navarro-Swain, Lauretis, Hubbard e Butler, bem como os estudos foucaultianos da sexualidade.

Palavras-chave

Teorias feministas; Sexualidade; Publicidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.