Prevalência do músculo palmar longo em acadêmicos da UFVJM

Amauri Pierucci, Artur Ferreira Pereira, Maryane Oliveira Campos

Resumo

O objetivo deste estudo é avaliar a prevalência do músculo palmar longo em 240 discentes da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), através do método de Schaeffer. O teste de Schaeffer é caracterizado pela oposição do polegar com o quinto dedo e a flexão do punho, visualizando-se o tendão do músculo sob a pele. Observou-se a prevalência bilateral do músculo palmar longo em 79,2% dos discentes, unilateral em 11,7% e agenesias bilaterais em 9,2% da população universitária. Após a análise estatística, o teste Qui-quadrado, não mostrou diferença entre os sexos com a ausência/presença unilateral (11,6% e 11,7%), ausência bilateral (8,0% e 10,2%) e presença bilateral (80,4% e 78,1%) do músculo palmar longo, respectivamente. Porém, quando se utilizou o teste de Correlação entre as agenesias unilaterais do músculo no sexo feminino, observou-se significância entre o antímero direita (9,6%) em relação ao seu contralateral (7,5%). Entretanto, no sexo masculino foram constatadas diferenças significativas quanto à ausência do palmar longo no antebraço esquerdo (7,1%) e direito (5,8%). O músculo palmar longo é um padrão anatômico em excelência, e, apresenta-se fortemente ligado a assimetria da anatomia do próprio corpo.

Palavras-chave

músculo palmar longo, agenesia, prevalência, variação anatômica, anatomia humana, alunos

Texto completo:

Texto completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.