Saúde bucal dos adolescentes de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Marise Fagundes Silveira, Jairo Evangelista Nascimento, Desirée Sant’Ana Haikal, Índia Olinta de Azevedo Queiroz, Julimary Larissa Mendes Ottoni, Nívia Carla Santos, Flávia Milene Silva Abreu, Mailson Nobre Eleutério, Carlos Alberto Quintão Rodrigues, Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins, Luiz Francisco Marcopito

Resumo

Resumo: Objetivo: Estudo transversal, de base populacional, que descreveu a saúde bucal dos adolescentes de 15 a 19 anos em Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Metodologia: Utilizou-se amostragem probabilística por conglomerados em dois estágios, estratificada por idade índice ou faixa etária. Por meio de entrevistas e exames da cavidade bucal, foram coletados dados de 763 adolescentes. Além das características sócio-demográficas (idade, sexo, escolaridade, tipo de escola, raça auto-declarada e uso de serviços odontológicos), avaliou-se: condição periodontal, higiene bucal, cárie dentária, condição da raiz, necessidade de tratamento dentário, uso e necessidade de prótese, má oclusão (índice DAI), fluorose e alteração no tecido mole. O módulo complex samples do programa estatístico PASW ® 17.0 foi utilizado para análise descritiva dos dados com correção pelo efeito do desenho. Resultados: Após correção pelo efeito do desenho, foi observado DAI médio de 23,40 com erro-padrão igual a 6,9 e CPOD médio de 3,4 com erro-padrão igual a 0,2. Constatou-se que entre os adolescentes, 29,5% apresentaram problema periodontal, 1,9% e 5,4% necessitavam de prótese dentária superior e inferior respectivamente, 6,7% apresentaram alterações de tecido mole, presença de fluorose em 43,5% e necessidade de tratamento dentário em 42,3%. Conclusão: Em geral, constataram-se boas condições de saúde bucal entre os adolescentes.

 

Palavras chaves: Saúde Bucal. Adolescente. Políticas Públicas. CPOD.

Palavras-chave

Saúde Bucal. Adolescente. Políticas Públicas. CPOD.

Texto completo:

Texto completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.