Saúde bucal e perfil sociodemográfico das crianças de 18 a 36 meses de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Laíse Angélica Mendes Rodrigues, Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins, Raquel Conceição Ferreira, José Mendes Silva, Cássia Pérola dos Anjos, Tânia Coelho Rocha Caldeira, Simone Oliveira Teixeira de Freitas, Danilo Spínola Costa, Juliana Andrade Fonseca, Antonio Prates Caldeira

Resumo

Resumo: Estudo transversal, descritivo, que avaliou a saúde bucal de crianças de 18 a 36 meses de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Foi calculada uma amostra probabilística complexa, por conglomerados em dois estágios, estimada de 754 crianças, considerando a proporcionalidade por sexo. Foram realizadas entrevistas e exames intrabucais por examinadores calibrados (Kappa inter/intraexaminadores ≥ 0,60) e anotadores treinados em 809 crianças nos anos de 2008 e 2009, onde obteve-se uma taxa de resposta de 92,3%. Nas análises considerou-se a correção pelo efeito de desenho. As crianças apresentaram uma média de idade de 27,60 (±0,39) meses e suas mães estudaram em média 9,29 (±0,31) anos. Encontrou-se ceod (número de dentes decíduos cariados, extraídos e obturados) médio de 0,38 (±0,05), com predomínio do componente cariado (83,5%). A maioria das crianças não necessitava de tratamento dentário (85,0%), apresentou todos os sextantes livres de placa (80,3%) e de cálculo (99,6%). Lesões fundamentais em tecidos moles foram observadas em 2,4% das crianças. Com isso, pode-se concluir que as crianças de Montes Claros apresentam boas condições de saúde bucal e controle adequado da placa bacteriana.

Palavras-chave

Odontopediatria; Saúde Bucal; Levantamentos de Saúde Bucal

Texto completo:

Texto completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.