Considerações sobre a relação dos surdos com a linguagem: dos primórdios à contemporaneidade

Maria Clara Maciel de Araújo Ribeiro

Resumo

Resumo: A partir dos  Estudos Surdos, este artigo aborda, em uma perspectiva lingüístico-histórica, as formas de se conceber o surdo e a sua relação com a linguagem, da Antiguidade aos tempos atuais. Devido em grande medida a descobertas científicas sobre as línguas de sinais, a imagem social da surdez vem sendo reconstruída. De amaldiçoados por Deus, os surdos passaram a ser considerados minorias linguísticas e sociais. Veremos que, atualmente, duas são as principais formas de se abordar a surdez: a primeira, oriunda do domínio clínico-terapêutico e, a segunda, do linguístico-antropológico. A filiação a uma ou a outra concepção determinará se, ao falar de surdos, estaremos tratando de sujeitos deficientes, sobre os quais exercemos um poder administrativo e atribuímos  uma visão normalizadora, ou de um povo específico, com língua, cultura e identidade própria.

Palavras-chave

Surdez; Lingugem; Língua Brasileira de Sinais

Texto completo:

Texto completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.